MEU LIVRO - EDITORA CORPOS - PORTUGAL

sexta-feira, 30 de abril de 2010

A MENTIRA E A VERDADE



A Mentira e a Verdade




A Mentira saiu cedo,

mal tinha clareado o dia.

Precisava de um bom motivo

para atrair a Verdade

e torná-la sua amiga.

Sabia que precisava ser esperta,

por que com a astúcia da Verdade,

nenhuma mentira escapava.

Então pensou no caráter da Verdade

e no quanto ela se orgulhava

de nunca ter contado uma mentira.

Sendo assim, tinha que ter muito cuidado,

para fazer uma mentira parecer uma verdade.

Foi aí que se lembrou de algo que estava escondido

numa caixinha dourada,

onde a Verdade guardava toda a sua sinceridade.

Percorreu algumas ruas da cidade,

aquela hora da madrugada,

enquanto todos dormiam

e ninguém estava acordado.

Foi até a casa da Verdade

e retirou do armário a caixinha dourada.

Não se conteve

e a Curiosidade foi maior que a ingenuidade,

pois a Mentira abriu a caixinha

e deixou escapar toda a Verdade.

Quando percebeu que a Verdade havia escapado,

ficou muito preocupada,

agora sim é que estava numa enrascada.

Teria que falar a verdade para não ser desmoralizada.

A Verdade acordou e encontrou a Mentira ao seu lado,

fingindo que não estava mexendo em nada.

A Verdade então foi verificar,

se tudo estava em seu lugar,

então percebeu que várias verdades

haviam escapado

de dentro da caixinha dourada.

A Mentira então descobriu,

que havia caído em uma cilada

e teria que falar a verdade,

mas isso era uma coisa que ela abominava.

Seria a mesma coisa que confessar um erro,

e para isso não estava preparada.

A Verdade disse que queria todas as suas verdades

de novo ali guardadas

e incumbiu a Mentira de resgatar toda a verdade.

Essa foi a única vez,

que a Mentira se encontrou numa encruzilhada:

Teria que contar a verdade,

senão seria desmoralizada.

Saiu então a procura da Verdade

e por onde passava,

ia recolhendo as verdades

e as colocando num saquinho improvisado.

Depois de muito trabalho,

ela voltou mais descansada.

Correr atrás da Verdade

não era coisa a ser desprezada,

dava trabalho, é verdade.

Mas já havia aprendido a lição.

Quanto mais mentiras ela inventasse,

mais teria que encontrar uma verdade,

que a superasse...



Débora Benvenuti

Postar um comentário