MEU LIVRO - EDITORA CORPOS - PORTUGAL

domingo, 30 de maio de 2010

MEU CORAÇÃO SE APAIXONOU



Meu coração se Apaixonou




Meu coração andava inquieto

e por mais que eu indagasse,

não conseguia descobrir

o que o fazia andar tão quieto.

Com certeza me escondia

algo que não me dizia.

E por estar assim calado,

suspeitei que algo estava errado.

De manhã mal acordou

e da cama levantou.

Saiu pisando de mansinho,

com medo que eu acordasse.

Espiei sem que ele notasse

e vi que calçava os chinelinhos.

Arrumou-se todo faceiro

e saiu muito ligeiro.

Então o segui sem que

ele percebesse

e o vi se encontrar

com outro coração,

que o estava a esperar.

Percebi que entre os dois

existia um grande amor.

Não havia quem negasse

a existência desse amor.

Bastava que para os dois olhasse,

para perceber

o que fazia o meu coração esconder.

Compreendi que meu coração

estava por outro apaixonado.

Agora só me restava

voltar para casa e esperar,

que meu coração me falasse,

quem era o coração

que o fazia emudecer

e uma paixão assim me esconder.

Por mais que eu perguntasse,

ele nada me quis dizer.

E eu continuo sem saber

o que faz o meu coração sofrer.



Débora Benvenuti

sábado, 29 de maio de 2010

O AMOR E A PAIXÃO



O Amor e a Paixão



Um dia, por um acaso,

ouvi esse diálogo

entre o Amor e a Paixão:

- Eu sou o Amor

e por onde eu passo,

vou deixando um rastro

de perfume de flor.

E você...quem é você?

- Eu sou a Paixão

e por um onde eu passo,

vou deixando um rastro

de amargura e de dor.

E já te encontrei muitas vezes

entre flores e dores

e tu me dissestes

que não sabias ao certo,

se o que sentias era Afeto,

Desejo ou Amor.

- E que trazes contigo?

Pergunta a Paixão

ao amigo chamado Amor.

- Eu venho de muito longe

e existo desde o princípio

de todas as eras

e assim espero

continuar espalhando

Ternura, Afeto e Amor.

- E que trazes você,

em tua bagagem, amiga Paixão?

- Eu trago comigo muitas estórias

de quem confundiu

Amor com Paixão.

Eu faço a incerteza

viver com tristeza

em cada coração.

Isso me faz viver por mais tempo

e não ter que partir,

quando parto um coração.

Eu fico por perto,

a espera do momento certo,

de me instalar novamente

em mais um coração.

- Pois eu acredito,

que por ser o Amor,

habite mais tempo,

ilumine os caminhos

e permaneça unindo

ainda mais os corações.

E os dois continuaram

caminhando lado a lado,

cada qual acreditando

viver mais tempo

no coração solitário

de quem vive buscando o Amor...


 
Débora Benvenuti

quinta-feira, 27 de maio de 2010

A ALMA DA IMAGINAÇÃO





A Alma da Imaginação

  

A Imaginação estava assustada,
mas fingia que não sabia de nada.
Percebia que toda a vez que refletia,
mais alguém se metia
nos seus pensamentos
sem o seu consentimento.
Isso lhe causava muitos aborrecimentos.
Decidia que faria alguma coisa
e nem mesmo concluía o seu pensamento
e já mudava tudo
sem qualquer esclarecimento.
Muitas vezes se perdia
e não entendia as coisas
que lhe acontecia.
Parecia que tudo o que vivia
e os lugares que visitava,
não lhe eram desconhecidos.
Algum dia ali estivera
e sabia tudo como era.
O momento seguinte era igual
a outros tantos momentos
iguais a esse que vivia.
E até o que dizia,
já havia dito um dia.
Sua Alma inquieta
então lhe confidenciou
como tudo isso acontecia.
Enquanto a Imaginação dormia,
ela vagava pelo infinito
e fazia tudo como fora descrito
e num livro deixava escrito,
para que a Imaginação entendesse
que o que acontecia
um dia já fora escrito
e ela apenas teria
que traduzir esse manuscrito.


Débora Benvenuti


quarta-feira, 26 de maio de 2010

EU SOU O AMOR



Eu sou o Amor



Eu sou o Amor.

E se me procurares,

me encontrarás.

Eu sou brasa

que nunca apaga.

Fogo que não queima.

Paixão que nunca acaba.

Eu sou alma que vagueia,

na escuridão que te rodeia.

Eu sou calor,

sou sol, sou mar, sou céu.

E quero ser mais do que isso.

Quero viver sem destino,

mas sempre correndo o risco,

de te encontrar sempre partindo.

Não quero que penses

que não existo.

Quero que lembres

que é para isto,

que eu existo.

E estou assim ao teu lado,

como a sombra da palmeira

que te acolhe,

quando cansado,

sentires que teus pés

já não te levam mais onde queres.

Eu sou a brisa,

que sopra de mansinho

e te diz baixinho

palavras de carinho

que só tu mesmo ouves,

quando estás sozinho.

No silêncio da minha ausência,

estarei sempre presente,

ainda que não me vejas,

serei a tua amiga e companheira,

nas noites de lua cheia.

E se de mim te distanciares,

por mais longe que te encontrares,

me sentirás sempre por perto,

com o coração cheio de afeto!

Eu sou o Amor,

e estou em todos os lugares,

e se por acaso te sentires solitário,

estarei aqui para te dizer:

" Eu estou no teu caminho..."



Débora Benvenuti





segunda-feira, 24 de maio de 2010


Mensagem na Garrafa

 


Uma garrafa,

depois de muito viajar,

acabou encalhada na areia da praia.

Um homem que por ali passava,

a encontrou,

e tirando a rolha da garrafa,

a seguinte mensagem desenrolou:

- Eu sou o AMOR

e se você me encontrou,

é porque muito me desejou.

Todos os seus sonhos,

os seus devaneios,

e os seus anseios,

irei realizar.

Basta apenas que me desejes

com todo o seu coração,

e não me escondas nenhum segredo.

Quero me manter inteiro

e penetrar sua alma,

iluminar os seus sonhos

e torná-los tão reais,

que você nunca mais

deseje acordar.

Quero mantê-lo num suave torpor,

para que você me deseje todos os dias,

e nunca mais me possas largar.

Quero invadir sutilmente sua mente

e beijar suavemente a tua boca,

para que sintas o aroma desse suave licor,

que exala desse doce momento,

em que me desejas amar,

e assim,

nesse delírio incoerente,

quero que me desejes loucamente,

e me faças contigo viajar.

Quero voar nas asas da tua imaginação,

e povoar os teus sonhos todas as noites,

para que nunca mais deixes de me amar.

Eu sou o AMOR...

e nunca mais irei te deixar...

 

Débora Benvenuti



sexta-feira, 21 de maio de 2010

MEU CORAÇÃO NÃO ESTÁ AQUI




Meu coração não está Aqui



A Imaginação acordou de repente
e percebeu que alguma coisa estava diferente.
Levantou-se rapidamente,
com uma estranha sensação.
Colocou os chinelinhos
que ficavam sempre ao lado da cama
e sem se vestir adequadamente,
saiu a procura do seu coração,
que havia desaparecido misteriosamente.
Pensou por alguns instantes
por onde poderia estar
esse seu coração ambulante.
Não era a primeira vez que isso acontecia
e ela não entendia
por que isso a deprimia tanto.
Correr em busca de um coração falante
era algo desgastante.
E se o coração falasse bastante?
Contasse tudo o que não poderia
ser dito num instante?
Haviam segredos guardados,
que não poderiam ser revelados.
Esse coração já sofrera tanto,
que nada mais o faria
desistir do seu intento.
Saíra com certeza a procura
de outro coração que o entendia sempre.
E a Imaginação se pôs a correr,
cada vez mais rápido,
antes que seu coração se distanciasse
e contasse os seus segredos.
Mas foi tudo em vão.
O pobre coração já havia feito
a sua declaração:
Confessou que não viveria mais
se não se entregasse
a esse amor que corroia seu coração.

 
Débora Benvenuti


quinta-feira, 20 de maio de 2010

AMIGO CUPIDO



Amigo Cupido


 


Não sei se você percebeu,

Amigo cupido,

mas há muito tempo

não falas mais comigo.

Será que você esqueceu,

aquele meu pedido?

Se foi isso que aconteceu,

quero novamente te falar,

que ainda tenho os mesmos sonhos

para sonhar.

Só que eles não possuem mais

o mesmo colorido.

Com o tempo,

ficaram desbotados

e acabaram sendo esquecidos.

Mas se puderes me ouvir,

eu posso te dizer,

onde os tenho escondido.

Continuam no mesmo lugar,

naquele armário embutido,

numa caixinha de papelão

em formato de coração.

Lá os guardei,

da última vez que os sonhei

e neles ficou o pedido

que fiz à você,

Amigo Cupido.

Queria que me trouxesses

um Amor,

que fosse único e verdadeiro,

que me amasse por inteiro,

e me fizesse muito feliz.

Não precisa ser maravilhoso,

mas tem que ter

a alma perfumada,

como as flores do campo,

que na sua simplicidade,

me trazem tanta felicidade.

Tem que ter no coração

muita sensibilidade,

e o desejo de me amar

com muita intensidade.

Não precisa ser bonito,

nem ser muito letrado,

basta que seja íntegro

e muito delicado.

Que esteja disposto a amar

e ser por mim amado.

É só isso que te peço,

Amigo cupido.

Agora que já lembras do meu pedido,

vá depressa

cumprir a sua promessa.

Eu fico aqui esperando,

porque tenho muita pressa.

Se esperar muito,

me descuido

e acabo com todos os meus sonhos

num segundo,

porque a espera se faz incerta

e os meus sonhos,

nunca mais ninguém desperta.




Débora Benvenuti