MEU LIVRO - EDITORA CORPOS - PORTUGAL

domingo, 2 de maio de 2010

A VOLTA DO RELÓGIO




A Volta do Relógio

 


O Relógio e a Imaginação,

depois de muito vagarem pelo mundo,

resolveram que era hora de parar.

- Mas parar para quê?

Pensou o Relógio,

se ele já estava parado.

Havia descido da parede

e não mais marcara o Tempo.

Estavam eram perdidos no Tempo.

Mas se o Tempo não existe,

como poderiam estar perdidos?

O Relógio estava cada vez mais confuso,

então perguntou a sua amiga ,a Imaginação,

como poderiam resolver essa questão.

O mundo estava uma confusão,

ninguém se entendia,

e todos queriam que o mundo

voltasse a girar novamente,

para que todos pudessem se encontrar.

Então a Imaginação propôs ao Relógio

que embarcassem na próxima volta

que o mundo fizesse,

e assim poderiam voltar para casa.

O Relógio voltaria para a parede

e a hora ele marcaria com sutileza.

- Você não se cansa de trabalhar?

Perguntou a Imaginação ao Relógio.

- Me canso sim , mas não posso parar.

- Por que não podes parar?

- Por que se eu parar,

me dão um remédio amargo para tomar.

- E é assim tão ruim?

- É muito ruim sim, é amargo.

E não é só amargo,

é viscoso e pegajoso,

e eu fico escorregando sem parar.

- E para que te dão remédio?

- Dizem que é para as minhas cordas lubrificar,

por isso não posso parar de trabalhar

e as horas eu preciso marcar.

- E para que precisas as horas marcar?

- Se eu não marcar,

ninguém mais vai querer trabalhar.

Assim,

o Relógio embarcou nas asas

da Imaginação e os dois voltaram

para mais um dia de trabalho.

O Relógio na parede e a Imaginação

a criar mais confusão com suas ações...



Débora Benvenuti


Postar um comentário