MEU LIVRO - EDITORA CORPOS - PORTUGAL

sábado, 17 de maio de 2014

As Chaves




A Imaginação havia saído,
caminhando sem destino,
e andava tão distraída,
passeando por um campo florido,
quando deixou cair,
sem ter percebido,
as chaves do seu coração.
Por entre flores muito belas,
ela se encantou com o colorido
das rosas e margaridas,
e das libélulas que
pousavam em cada flor
que desabrochava,
tornando ainda mais belo
aquele cenário encantador.
Foi por entre flores e cores
que a Imaginação percebeu
a presença do Amor,
que por ali passava
aspirando o perfume
de cada flor.
A Imaginação se encantou
com toda a delicadeza do Amor,
então procurou as chaves
que abriam as portas
do seu coração,
como não encontrou,
perguntou ao Amor
se não teria uma cópia
que pudesse usá-la,
para abrir o seu coração.
O Amor se aproximou
da Imaginação e
experimentou com as suas chaves
para ver se encaixava
naquele coração distraído
e percebeu comovido
que as chaves que ele
carregava consigo,
abriam qualquer coração.
A Imaginação ficou tão agradecida
que convidou o Amor
a se hospedar em seu coração,
desde que não se importasse
de jogar fora as chaves,
para que alguém que as achasse,
fizesse o mesmo
quando encontrasse um
coração distraído...

Débora Benvenuti


Postar um comentário